top of page

Produtos da agricultura familiar serão distribuídos às famílias de Erechim


O ano de 2023 foi marcado pela retomada das políticas públicas que beneficiam, por um lado, agricultores familiares que produzem alimentos e por outro lado, as famílias em situação de vulnerabilidade social. É o caso do PAA - Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) que voltou a fazer parte da vida dos brasileiros.


O Sindicato Unificado dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Alto Uruguai – SUTRAF-AU, Cooperfamília e entidades assistenciais que organizaram as famílias urbanas estão unidas em um projeto do PAA. Segundo o Governo Federal foram destinados mais de R$ 250 milhões para o PAA deste ano, o programa que completou 20 anos em 2023 foi relançado no mês de março e tem o objetivo de contribuir com o fortalecimento da agricultura familiar e da promoção da segurança alimentar e nutricional, tornando-se exemplo para o mundo.


O SUTRAF-AU e a Cooperfamilia apresentaram e foram contemplados com um projeto do PAA para o município de Erechim no valor de R$ 373 mil. O valor será destinado à compra de produtos dos agricultores familiares da região e na sequência serão entregues às cinco entidades assistenciais urbanas cadastradas no projeto, sendo: o Sesc, APAE, Obra Santa Marta, Cantinho da Luz e Aprove.


Para alinhar as ações que o SUTRAF-AU e a Cooperfamilia se reuniram no início da semana (11) com representantes das entidades farão a distribuição e também com os agricultores familiares da região que farão a entrega dos alimentos.


Políticas públicas

De acordo com o coordenador geral do SUTRAF-AU, Alcemir Bagnara, o momento é importante e de retomada de políticas públicas. “É um avanço retornarmos às políticas públicas, e ver o quanto elas são importantes no combate à fome, e a vulnerabilidade social, que assolam a nossa sociedade civil. O SUTRAF-AU e a Cooperfamilia têm o compromisso social de fazer com que esse projeto seja um sucesso e no próximo ano possa triplicar o valor”, disse.


Segundo o presidente da Cooperfamilia, Isaías Wastchuk, a reunião com as entidades e agricultores foi importante e selou o compromisso de todos em fazer dar certo o projeto.

Benefício para agricultores e a comunidade erechinense

A agricultora, Silvana Balbinot, da cidade de Ponte Preta, conta que ela e família plantam grãos como milho, trigo e soja, trabalham com gado de confinamento e por meio da Agroindústria Balbinot produz pães, bolachas e cucas, todo o trabalho é para ajudar na renda familiar. “Todo o recurso que chegar é importante, agrega para nossa renda, então vai ser muito bom esse projeto”, disse.


A coordenadora da Obra Promocional Santa Marta, Isabel Gritti, explica que o fornecimento de alimentos da agricultura familiar vai estar ajudando mais de 100 famílias em situação de vulnerabilidade. “É uma parceria importante que garante uma segurança alimentar para as famílias atendidas por esse convênio. Passamos um período em que esses convênios estavam suspensos, mas esse governo que assumiu olha para as pessoas mais necessitadas e esses alimentos vão estar ajudando 181 famílias da nossa entidade”, disse.

A primeira entrega de alimentos da Cooperfamilia deve iniciar nos próximos dias.



Comments


bottom of page