Plano para reabertura do Castelinho é apresentado em transmissão ao vivo


A Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, através do Serviço de Patrimônio Histórico e Cultural, apresentou à comunidade na manhã desta segunda-feira (1), o plano de ação estratégico para reabertura do Castelinho através de uma LIVE no Facebook da Prefeitura de Erechim. A apresentação e a transmissão seguem disponíveis para a comunidade.

A LIVE contou com a participação do vice-prefeito Flávio Tirello, da presidente da Câmara de Vereadores, Ana Oliveira e do secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Neidmar Alves, além da equipe técnica responsável pelo setor do Serviço de Patrimônio Histórico e Cultural.


Nas considerações iniciais o secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Neidmar Alves destacou o trabalho técnico contínuo e agora, o nível de reconhecimento para os protocolos necessários por se tratar de um prédio que é tombado como patrimônio histórico e cultural do Estado do Rio Grande do Sul desde 1982. “É necessário vigor e determinação quanto ao financiamento dessa obra que vai ser realizada em três fases. Com apoio da prefeitura e Câmara de Vereadores, nossa pasta vai em busca dos recursos a partir da chancela do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE)”, explica. A presidente da Câmara de Vereadores, Ana Oliveira, disse que é um prazer representar os 17 vereadores e frisou a importância histórica do prédio de 1908 que abrigou a sede da Comissão de Terras do Estado durante a colonização da região. “Apesar do momento difícil, a cidade não pode parar, os projetos precisam continuidade. Nosso Castelinho tem um simbolismo muito forte na consolidação e organização da nossa cidade. Agora, é preciso o entendimento da população nas etapas que esse projeto precisa passar, pelos órgãos que precisam aprovar os próximos passos. A Câmara de Vereadores vai ser sempre parceira para preservar e dar visibilidade a espaços do nosso município”, destaca. O vice-prefeito Flávio Tirello, destacou que a primeira etapa de restauração que aconteceu em 2014 foi fundamental para que o prédio ainda tivesse condições de voltar ao convívio da comunidade. “Sem aquele início, talvez hoje o Castelinho não estivesse de pé, e agora, resgatar e concluir o restauro do Castelinho é uma questão de prioridade para devolve-lo a comunidade. Vamos dar condições pra isso acontecer o mais breve possível”, finaliza.

O projeto e os próximos passos


A apresentação foi feita pela arquiteta chefe do Serviço de Patrimônio Histórico e Cultural, Ariane Pedrotti de Ávila Dias e também pela arquiteta Gabriela Dalbosco. O projeto de ocupação e restauração prevê que o prédio de cinco pavimentos ganhe espaços de exposições e de oficinas que serão definidos por editais e um café através de uma concessão. Também fazem parte do projeto, áreas administrativas e circulação, além de um espaço de convivência e cultura, que vai possibilitar até mesmo apresentações na área externa, atrás do prédio, em um jardim adaptado com acessibilidade, com decks e locais de lazer para a comunidade.


Após essa apresentação, o grupo de trabalho interdisciplinar do Castelinho será retomado. Os participantes são do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), do Sindicato dos Engenheiros e Arquitetos de Erechim (SEAE), da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), do Movimento Étnico e Cultural dos Negros de Erechim (MENE) e do Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPC). Esse grupo deve dar os pareceres do que é realizado, aprovar e deliberar a respeito de decisões que envolvam o projeto. O GT é uma demanda do IPHAE. Além disso, o projeto vai agora para orçamentação, aprovação do IPHAE e depois captação de recursos, licitação e execução. A Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo estima um prazo de dois anos para esse andamento.