top of page

Negociações sobre transporte público passarão pelo Legislativo em Erechim

Prefeito Paulo Polis concedeu entrevista coletiva sobre o tema nessa tarde. Empresa requer valor superior a R$4,3 milhões para reequilíbrio financeiro




As negociações envolvendo o transporte público de Erechim passarão pelo aval da Câmara de Vereadores, em sessão extraordinária que deve ser realizada ainda nessa semana. Hoje o município realizou a quarta audiência de conciliação com a Empresa de Transportes Gaurama, concessionária responsável por esse serviço no município. A empresa alega a necessidade de reequilíbrio financeiro, tendo em vista as dificuldades operacionais, causadas pela queda no número de passageiros no ano passado, somada ao aumento dos custos com pessoal e insumos. O pedido da Urbano é de uma quantia superior a R$ 4,3 milhões, sob o risco de suspensão do transporte público, tendo em vista a impossibilidade de seguir realizando seus serviços, e levando em conta que já há pedidos de busca e apreensão de veículos da empresa, devido à falta de pagamentos.

Segundo a prefeitura, a proposta apresentada à empresa foi a de fazer o pagamento em parcelas, sendo a primeira ainda nesse mês, mas as demais condicionadas a uma perícia externa dos dados que foram apresentados no pedido de reequilibrio financeiro. Por ser um valor alto, o Município considera fundamental que o pagamento passe pela análise do Legislativo, nesse sentido, o prefeito de Erechim, Paulo Polis, adiantou que já contatará os vereadores, pontuando a urgência do tema, tendo em vista que muitas pessoas dependem do transporte coletivo urbano no município.


Em coletiva de imprensa realizada nessa segunda-feira, Polis destacou ainda várias questões relacionadas ao contrato do serviço e que devem ser reavaliadas a médio prazo, entre elas, a necessidade de se considerar o novo cenário envolvendo a utilização do transporte público, que agora é impactado pela chegada de outros meios, como transportes por aplicativos, o crescimento do trabalho em home office, extinguindo a necessidade de ônibus por parte dos trabalhadores; o fato de o transporte de funcionários de empresas atualmente ser, majoritariamente, realizado de modo particular, entre outros pontos.


Polis avaliou a audiência de hoje como positiva, ao passo que houve avanço nas negociações. Segundo ele, a empresa se comprometeu a realizar o serviço de modo regular. O prefeito pontuou ainda que, nesse momento, avaliar outras alternativas para a oferta do serviço não é a melhor opção, tendo em vista que os valores a serem cobrados da população pelo transportes sofreriam acréscimo.


Pagamento


A proposta da Prefeitura, aceita pelas partes, ficou estabelecida em R$ 4 milhões, sendo uma primeira parte a ser paga assim que a lei for sancionada no valor de R$ 1,5 milhão. Após, o município irá suprir o reequilíbrio financeiro em cinco parcelas de R$ 500 mil a cada 45 dias. Se o valor apontado na perícia judicial for inferior a R$ 4 milhões, esse número será reajustado.

Comments


bottom of page