Mais de 60 cargas de lixo recolhidas em 15 dias na operação "Dengue Não"


A Defesa Civil, Secretaria de Obras Públicas, Habitação, Segurança e Proteção Social e detentos do semiaberto concluíram nesta quarta-feira (3), parte da operação “Dengue Não”. Até a data já foram recolhidas mais de 60 cargas de lixo em cerca de 15 dias. Os locais críticos foram indicados pela Vigilância Sanitária do município.

A equipe também realizou a separação, onde lixos recicláveis foram encaminhados a reciclagem e lixos orgânicos ao aterro sanitário.

Vale ressaltar que esse papel de limpeza em terrenos e pátios privados não compete ao Poder Público, porém nos locais mais críticos as equipes da Prefeitura atuaram de forma intensa, buscando agilizar a limpeza e evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, além de realizar orientações aos moradores de como proceder para que pátios e terrenos se mantenham limpos e possam prevenir a transmissão de doenças. “As pessoas não estão conscientes que esse lixo traz doenças à elas. Presenciamos um caso de estar retirando lixo de um local e um carro parando no lado para descartar objetos”, conta o coordenador da Defesa Civil, Ronaldo Manica.

Imprescindível reforçar que haverá fiscalização maciça nesses locais. A Prefeitura já orientou os moradores e deverá autuar e multar aqueles que descumprirem as normas e mantiverem seus pátios e terrenos com acúmulo de lixo.

É preciso não acumular lixo, muito menos recipientes que possam manter a água parada. Isso é muito importante pois, o que vai realmente garantir a redução dos casos de dengue no município é a eliminação de água parada. Não adianta só aplicar o veneno, fazer mutirões de limpeza se as pessoas não cuidarem e os mosquitos continuarem nascendo. Então, a Defesa Civil pede que cada um seja responsável e faça a sua parte.

Denúncias podem ser feitas na Secretaria de Meio Ambiente, pelo telefone (54) 3520-7007 – Ramal 8413.