top of page

Governo do Estado frustra agricultores da Cooperativa Nossa Terra em audiência

Atualizado: 13 de nov. de 2023




A audiência que os agricultores familiares esperavam há meses finalmente aconteceu na última segunda-feira, 06 de novembro. O vice-governador do Rio Grande do Sul, Gabriel Souza, e o secretário de Logística e Transportes, Juvir Costella, receberam uma comitiva do Coletivo de Apoio à Agricultura Familiar, que representa a Cooperativa Nossa Terra. A cooperativa está ameaçada de perder seu local de trabalho em Erechim, que foi prometida como pagamento pelo governo estadual a uma empreiteira que pretende realizar uma obra asfáltica.

Na audiência, os agricultores entregaram um abaixo-assinado com milhares de assinaturas, pedindo a permanência da cooperativa no local. A Nossa Terra é uma grande cooperativa da agricultura familiar, com mais de 1.500 famílias de associados e feirantes, que comercializam seus produtos em 10 estados brasileiros, há 22 anos.

A comitiva contou com a presença do presidente da Nossa Terra, Adelmir Gaiardo, do secretário geral da cooperativa, Lucinei Calgaro, do feirante Claiton Balen, do deputado estadual Miguel Rossetto, da ex-presidente da Nossa Terra, Marlene Pasquali Slongo, do prefeito de Paulo Bento, Gabriel Jevinski, dos vereadores de Paulo Bento, Carlos Alberto Dall Agnol e José Piovezan, do secretário municipal da Agricultura de Erechim, William Racoski, dos vereadores de Erechim Nadir Barbosa, Sergio Bento e Sandra Picoli e do assessor do Presidente da Assembleia Legislativa, Ivanir Pereira.

No entanto, a audiência não trouxe boas notícias para os agricultores. O governo estadual afirmou que a dação em pagamento para a empreiteira continuará em tramitação e que a cooperativa deverá encaminhar uma proposta de compra da área à empresa. Segundo o vice-governador Gabriel Souza, o governo não tem como interferir no processo que envolve a futura dívida do estado com a empreiteira.

Diante dessa resposta intransigente da parte do governo estadual, os agricultores não se conformaram e prometeram intensificar a mobilização em defesa da Nossa Terra. O presidente Gaiardo disse que a cooperativa está estudando outras ações cabíveis para serem executadas, buscando a justa permanência dos agricultores em seu espaço de trabalho. Ele também agradeceu o apoio da sociedade civil, das lideranças e dos parlamentares que se solidarizaram com a causa.

Nos próximos dias, serão anunciadas novas ações da campanha Nossa Terra Fica, que conta com o apoio de diversas entidades e movimentos sociais. A campanha tem usado o site e a página da Nossa Terra no Facebook e no Instagram, onde são divulgadas as informações sobre o caso e as formas de colaborar.




Komentarze


bottom of page