top of page

Estado atende áreas afetadas e alerta para a ocorrência de mais temporais

O temporal que atingiu o Estado na noite de terça-feira (16/1) causou uma morte no município de Cachoeirinha, na região metropolitana de Porto Alegre. Trata-se de um homem que sofreu o impacto da queda da marquise de um prédio. Alguns municípios chegaram a registrar mais de 100 milímetros de chuva nas últimas 24 horas e rajadas de ventos de mais de 100 km/h. Até as 14h desta quarta-feira, a Defesa Civil do Estado contabilizou 4.840 afetados, 12 feridos e 48 desalojados (pessoas que precisaram sair de casa, mas não precisaram de abrigos públicos).

No momento, 39 municípios reportaram danos ou ocorrências. O Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) recebeu mais de 500 chamados. Em São Vicente do Sul, na Região Central, um hospital ficou totalmente destelhado. Em Ijuí, houve registro de 101,4 milímetros de chuva em 24 horas, sendo que a média para o mês de janeiro é 172 milímetros. Conforme o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em Teutônia o vento chegou a 126,7 km/h.

O evento adverso e as previsões meteorológicas para os próximos dias foram tratados em uma reunião que o governador Eduardo Leite teve pela manhã, no Palácio Piratini, com o chefe da Casa Militar e coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Luciano Boeira, e o comandante-geral do CBMRS, coronel Eduardo Estêvam Rodrigues.

Leite falou sobre os estragos causados e as ações de resposta do Estado. “Ontem, foram cerca de 80 milímetros a 100 milímetros de chuva no Estado. Em Porto Alegre, num curto espaço de tempo, choveu mais de 70 milímetros. Isso gera muitos impactos na vida das pessoas e na rotina das cidades. Estamos verificando a situação dos hospitais de Porto Alegre que foram muito afetados e vamos colocar todo o esforço necessário para atender a essas necessidades. O Corpo de Bombeiros virou a noite inteira fazendo atendimentos, ajudando a desobstruir vias”, relatou.

O governador fez um alerta à população em relação às previsões para quarta e quinta-feira, em razão da possibilidade de novas chuvas e da elevação do nível de rios. “Ainda estamos em situação de alerta para uma região importante do Estado. Rios devem subir ao longo do dia e amanhã, tendo resposta de elevação. Então, é importante todo mundo estar acompanhando e evitando se expor a riscos”, frisou. Ainda pela manhã, a pedido de Leite, o vice-governador Gabriel Souza se encontrou com o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, na sede do Centro Integrado de Comando e Controle, para reforçar a articulação entre os órgãos do Estado e do município.

Conforme a Defesa Civil, é possível que haja novos temporais no fim desta quarta-feira. A meteorologista da Sala de Situação do Estado, Cátia Valente, explicou o cenário que pode se formar nas próximas horas. “Ainda tem previsão de bastante chuva no norte do Estado. Ao longo da tarde, a instabilidade vai novamente ganhar força. Mais para o final do dia, podem ocorrer novos temporais, a exemplo do que ocorreu na noite passada. Então, toda a região que compreende Porto Alegre, Região Metropolitana, Litoral Norte e partes também dos Vales ainda podem registrar chuvas intensas e ventos fortes, principalmente ao final do dia, durante a noite e na próxima madrugada”, detalhou Cátia.

A meteorologista avaliou, ainda, os impactos que podem ocorrer no nível dos rios e chamou atenção, especialmente, para a região do Litoral e do Vale do Paranhana. “Com volumes acumulados de chuva, pode haver uma resposta hidrológica ao longo do dia de hoje e amanhã, principalmente no rio Caí, no Litoral Norte e no Vale do Paranhana, que compreende Caraá e Santo Antônio da Patrulha”, explicou. 

Maiores acumulados de chuva

(entre 8h de terça e 8h de quarta)

Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden):

  • Entre-Ijuís: 101,8 mm

  • Ijuí: 101,4 mm

  • Itaqui: 94,6 mm

  • Canoas: 83,2 mm

  • Encruzilhada do Sul: 81,2 mm

  • Santa Rosa: 80,8 mm

  • Eldorado Do Sul: 79,92 mm

  • Porto Alegre: 75,73 mm

  • Dom Pedrito: 74 mm

  • Viamão: 68 mm

  • Gravataí: 67,8 mm

  • Candelária: 65,8 mm

  • Bom Princípio: 65,2 mm

  • Campo Bom: 63,95 mm

  • Rosário Do Sul: 63,2 mm

  • São Borja: 61,8 mm

  • Santa Maria: 60,8 mm

Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet):

  • Dom Pedrito: 86,2 mm

  • Santiago: 78,2 mm

  • Santana do Livramento: 74,2 mm

  • São Luiz Gonzaga: 67,8 mm

  • São Gabriel: 65,8 mm

  • Encruzilhada do Sul: 58,8 mm

  • Torres: 57,8 mm

  • São Vicente do Sul: 56,8 mm

Maiores rajadas de vento

(entre 3h de terça e 11h de quarta)

Inmet:

  • Teutônia: 126,7 km/h

  • Canela: 103 km/h

  • Cruz Alta: 91 km/h

  • Porto Alegre: 89 km/h

  • Lagoa Vermelha: 86 km/h

  • São Vicente do Sul: 84 km/h

  • Canguçu: 84 km/h

  • Santa Maria: 84 km/h

  • Dom Pedrito: 80 km/h

  • Torres: 80 km/h

  • Caçapava do Sul: 79 km/h

  • Rio Pardo: 76 km/h

  • São Gabriel: 76 km/h

  • Santa Vitória do Palmar

  • Barra do Chuí: 75 km/h

  • São Luiz Gonzaga: 70 km/h

  • Soledade: 69 km/h

  • Santana do Livramento: 69 km/h

  • Tupanciretã: 69 km/h

  • Bento Gonçalves: 68 km/h

  • São Borja: 67 km/h

  • Bagé: 66 km/h

  • Camaquã: 66 km/h

Aeroportos:

  • Canoas: 107 km/h

  • Porto Alegre:  89 km/h

  • Uruguaiana:  69 km/h

  • Santa Maria:  65 km/h

Municípios que reportaram danos ou ocorrências

  • Aceguá

  • Agudo

  • Alvorada

  • Cachoeira do Sul

  • Cachoeirinha

  • Candiota

  • Canela

  • Canoas

  • Colinas

  • Cruzeiro do Sul

  • Eldorado do Sul

  • Encruzilhada do Sul

  • Estrela

  • General Câmara

  • Gramado

  • Gravataí

  • Guaíba

  • Lajeado

  • Mata

  • Não-Me-Toque

  • Panambi

  • Paraíso do Sul

  • Parobé

  • Pejuçara

  • Porto Alegre

  • Restinga Seca

  • Santa Bárbara do Sul

  • Santa Cruz do Sul

  • Santa Maria

  • Santana da Boa Vista

  • Santo Ângelo

  • São Gabriel

  • São Miguel das Missões

  • São Paulo das Missões

  • São Vicente do Sul

  • Teutônia

  • Venâncio Aires

  • Viamão

  • Vitória das Missões

コメント


bottom of page