Erechim tem 6 hospitalizações por Covid-19 e 17 casos ativos

Município registrou 8 casos novos de coronavírus desde a última sexta-feira, quando havia sido divulgado o boletim anterior




Erechim registrou 8 casos novos de coronavírus desde a última sexta-feira, quando saiu o último boletim com as estatísticas locais. Com isso, desde o início da pandemia já são 15.193 notificações de diagnósticos positivos. Desse total, a maioria se refere a casos considerados recuperados, e atualmente há 17 casos ativos, ou seja, pacientes no período de transmissão do vírus. O município já registrou 204 óbitos devido às complicações da Covid-19.

Quanto às internações ligadas à doença, há 6 pacientes, sendo 4 moradores de Erechim, 1 de Erebango e 1 de Áurea. Entre as hospitalizações, 3 são na UTI.

Já quanto à vacinação, até às 16h de ontem, 85.171 pessoas haviam recebido a primeira dose da vacina. A segunda dose ou imunizante de dose única foi aplicado em 80.404 pessoas e a dose de reforço tem 9.730 aplicações. Acesse o PAINEL COVID19



Vacinação



Devido ao avanço da vacinação contra Covid-19, e para evitar desperdícios de doses da vacina, a Secretaria Municipal de Saúde de Erechim passa a adotar uma nova estratégia de vacinação no município, principalmente no que diz respeito à segunda dose. Hoje a vacina da Pfizer está disponível em todas as UBSs, das 8h30 às 15h para quem recebeu a primeira dose até o dia 29 de setembro. Já a segunda dose da vacina Astrazeneca para quem recebeu a primeira até dia 29 de setembro estará disponível somente com agendamento.

Quanto à vacina Coronavac, a segunda dose é conforme agendamento na Carteirinha de Vacinação, sendo que as doses estão disponíveis somente na UPA e na UBS do Bairro Progresso, das 8h30 às 18h. As informações detalhadas quanto aos locais e horários para aplicação da segunda dose das vacinas contra a Covid-19 estão em nosso site: virtual.fm.br. Além disso, o município segue fazendo a aplicação da primeira dose para a população acima de 12 anos que ainda não se vacinou; e a aplicação da dose de reforço para idosos e profissionais da saúde que tenham completado o esquema vacinal há, pelo menos, seis meses.