Educação Infantil Marista: Espaços educadores na aprendizagem das crianças

A Educação Infantil é uma etapa em que cada detalhe é importante para a construção do repertório de significados das crianças. No jeito marista de educar, os ambientes são considerados parte essencial do projeto curricular, e pensados de forma que proporcionem momentos que incentivam a imaginação, criatividade, socialização, descoberta e autonomia. “Os espaços pedagógicos educadores formam um dos alicerces das nossas diretrizes”, afirma Loide Trois, Supervisora Pedagógica dos Colégios e Unidades Sociais da Rede Marista.

Os estudantes são convidados a ocupar o lugar de protagonistas, para, acompanhados dos educadores, terem liberdade de expressar suas ideias – em um ambiente educador que os empodera e valoriza suas maneiras de participação e interação. “Acreditamos que o espaço escolar deve transmitir afetividade mesmo sendo uma estrutura física”, explica Loide. “Precisa ser habitado de valores e princípios, da mesma forma em que aguça a curiosidade e desperta o desejo de aprender”. Em sintonia com essa proposta, as salas de aula são compostas com mobiliários versáteis, que permitem diferentes arranjos e harmonizações. Também contam com materiais naturais e neutros que oferecem elementos sensitivos importantes, como luzes, cores, texturas, cheiros e sons.

Aprender brincando

Segundo a coordenadora pedagógica da Educação Infantil e Anos Iniciais do Marista Medianeira, Rosani Demarco, “os ambientes devem dialogar com as crianças, sendo intencionalmente organizados de modo provocativo e planejados com cuidado e afeto, pois são neles que se celebram diariamente encontros cognitivos e afetivos entre educadores, pais e crianças. Neles deve estar garantido o direito das crianças de explorar, sentir, comunicar, ver, olhar, pegar, saborear, inventar, criar, modificar, ter movimentos, adequando-se às suas necessidades e aos processos de aprendizagens. ”  

A partir dos espaços educadores do Marista Medianeira, as crianças se desenvolvem e aprendem brincando. Um exemplo é o projeto Cavernas, da turma 031, no qual as crianças, juntamente com a professora, decidiram construir um espaço que representasse uma caverna, tema do projeto em estudo. O jogo simbólico e a imaginação permitem que as crianças experienciem o que seria habitar este lugar. Outro exemplo é o projeto Dinossauros, da turma 021, em que as crianças recriaram o habitat dos dinossauros a partir dos conhecimentos obtidos pelas pesquisas, bem como da fértil imaginação infantil. Os espaços compostos de materiais não-estruturados e destinados à arte são permanentes na sala de aula, permitindo que na diversidade de suportes e riscadores, bem como de figurinos, a imaginação seja uma forma privilegiada da expressão infantil.

© 2020 Virtual FM 104.7 - Sociedade Rádio São José LTDA