top of page

Conab compra R$ 9,6 milhões em alimentos da agricultura familiar do Alto Uruguai

Alimentos serão doados a 24 entidades da rede socioassistencial, que atendem 170 mil pessoas




O governo federal investiu mais de R$ 9,6 milhões na agricultura familiar do Alto Alto Uruguai por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que é operacionalizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Ao todo, 461 famílias ligadas a seis cooperativas de Erechim, Getúlio Vargas, Marcelino Ramos e Paulo Bento vão entregar mais de 713 toneladas de produtos a 24 entidades da rede socioassistencial, que atendem 170 mil pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional. A região tem 10 projetos aprovados, entre Compra com Doação Simultânea, Cozinhas Solidárias e Compra Institucional de Leite. Todos já foram pagos às cooperativas pela Companhia.


“O PAA é um dos principais programas que a Conab operacionaliza. Nós compramos o alimento do agricultor familiar, pagamos um preço justo e, de forma simultânea, esse alimento vai para a mesa de quem está passando necessidade. Estamos operacionalizando mais de R$ 100 milhões aqui no Rio Grande do Sul e mais de R$ 717 milhões em nível nacional, beneficiando um público de 73% de mulheres, 5% de povos indígenas, 5% de pescadores artesanais, 10% de quilombolas e 5% de agroextrativistas”, destaca o presidente da estatal, Edegar Pretto.


Ele e o secretário de Abastecimento, Cooperativismo e Soberania Alimentar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Milton Fornazieri, participaram nesta quarta-feira (7), em Erechim, de um evento regional que mostrou na prática os resultados do PAA. Na ocasião, a Cooperativa de Desenvolvimento Regional (Cooperfamília) entregou à Obra Promocional Santa Marta cerca de 500 quilos de alimentos — alface, cenoura, ovos, bolacha, cuca, mandioca, farinha de milho, açúcar mascavo e suco de laranja. A cooperativa atende cinco entidades do município, que irão receber a doação de 54 toneladas de alimentos adquiridos pela Conab. O investimento é de R$ 373 mil.


Segundo o presidente da Cooperfamília, Isaías Wastchuk, a retomada do PAA fez com que a agricultura familiar, "que estava abandonada nos governos anteriores", recuperasse a esperança, porque garante renda aos agricultores, movimenta a economia local e combate a fome.


“Para o agricultor que estava pensando em abandonar a sua propriedade, hoje o PAA é uma alternativa. Todas as cooperativas e seus associados acabam tendo um amparo nesse momento. Os projetos têm um valor alto, que vai mexer com milhares de famílias no Alto Uruguai, tanto com quem vai produzir, como com quem vai receber esses alimentos”, ressalta Wastchuk.


Ainda no evento, a Cooperativa de Comercialização da Agricultura Familiar de Economia Solidária (Cecafes) entregou cestas de alimentos a entidades que ela atende por meio do PAA. Já a Cooperativa Agrofamiliar (Agricoop), também de Erechim, fez uma entrega simbólica de leite em pó para a Conab. A estatal adquiriu, via Compra Institucional, 190 toneladas do alimento produzido pela Agricoop, totalizando R$ 6 milhões em recursos aplicados. Em todo o estado, o investimento nessa ação de ajuda aos produtores de leite passa de R$ 56 milhões.


Também foram formalizados quatro projetos da região com a assinatura dos Termos de Pactuação da Agricultura Familiar. Eles somam R$ 1,7 milhão e contemplam a Cecafes; a Cooperativa Regional da Agricultura Familiar de Getúlio Vargas (Coopraf); a Cooperativa de Produção e Consumo Familiar Nossa Terra e a Cooperativa da Agricultura Familiar Marcelino Ramos (Cocel). Mais de 210 toneladas de alimentos serão doadas a 14 entidades, que atendem mais de 63 mil pessoas.


Inaugurações em Marcelino Ramos


Ainda no Alto Uruguai, o presidente Edegar Pretto e o secretário Milton Fornazieri também estiveram em Marcelino Ramos, onde participaram da inauguração da Unidade de Recebimento e Beneficiamento de Feijão e da Usina Fotovoltaica, ambas da Cecafes. O investimento é de R$ 1,6 milhão. O evento também contou com a presença de autoridades e lideranças da região, além de agricultores familiares e representantes de cooperativas de crédito.


Comments


bottom of page