CineSolarzinho, primeiro cinema itinerante movido a energia solar do Brasil, chega à região de Erech


Com patrocínio da RGE, empresa do Grupo CPFL Energia, e apoio do Instituto CPFL, o projeto exibe curtas-metragens brasileiros e o filme ‘Turma da Mônica – Laços', em Getúlio Vargas (13/09) e Itatiba do Sul (14/09), com entrada gratuita e distribuição de pipoca



O Cinesolar carrega as cadeiras para o público, sistemas de som e projeção, telão e uma cabine de DJ. Na sessão, o público pode conhecer a estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz, instalada no próprio veículo, que tem muitas atrações para toda a família. Fotos: Divulgação/CineSolar


A magia do cinema movido a energia solar é a proposta do CineSolarzinho, que chega à região de Erechim (RS), nas cidades de Getúlio Vargas (13/09) e Itatiba do Sul (14/09), com atividades culturais para a população. Com patrocínio da RGE, uma empresa do Grupo CPFL Energia, e apoio do Instituto CPFL e das Prefeituras Municipais, serão exibidos curtas-metragens brasileiros, o filme “Turma da Mônica - Laços” e um curta especial produzido durante uma oficina on-line com temática socioambiental pelo Centro de Convivência de Itatiba do Sul. Nas sessões, que têm entrada gratuita e distribuição de pipoca, o público pode conhecer a estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz, instalada no próprio veículo que carrega todo o cinema e que tem muitas atrações para toda a família. O CineSolar - que tem a versão CineSolarzinho para o público infantil - é o primeiro cinema itinerante do Brasil movido a energia limpa e renovável: a energia solar. Funciona através de duas vans, batizadas de Tupã e Mahura, que foram grafitadas e adaptadas com as placas fotovoltaicas e o sistema de conversão de energia e armazenamento, com 20 horas de autonomia. Cada sprinter também carrega 110 cadeiras e banquetas para o público e todo o sistema de som e projeção para o cinema. Além de tudo isso, o espaço se transforma em uma estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz. Uma sala de aula onde o público é convidado a entender, de maneira descontraída e divertida, como a luz do sol se transforma em energia elétrica. Os infográficos, a iluminação e a decoração especial - feita com materiais reciclados e objetos com princípios de magnetismo e eletricidade como laser e bola de plasma - são uma atração à parte, que encanta pessoas de todas as idades. “O tema da energia solar ainda é novo e gera muita curiosidade. Na visita, todos podem ver o caminho que a luz do sol percorre, desde as placas instaladas no teto da van, os cabos, as baterias, o controlador e o inversor de carga, fica tudo acessível e as crianças adoram”, diz Cynthia Alario, coordenadora e idealizadora do CineSolar. O projeto viaja por várias regiões do país para realizar sessões gratuitas de cinema, com o objetivo de democratizar o acesso às produções audiovisuais (principalmente nacionais), promover ações e práticas sustentáveis, a inclusão social, difundir a tecnologia da geração de energia fotovoltaica e levar alegria com a temática socioambiental a todas as pessoas. “Os equipamentos de difusão cultural, como o CineSolar, têm a capacidade de transformar o olhar de crianças, jovens e adultos. Nós, do Instituto CPFL, queremos ajudar a promover essa transformação em diversas comunidades, por todo o país”, explica a gerente executiva do Instituto CPFL, Daniela Pagotto. A 2ª Edição do CineSolarzinho é viabilizada pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, com patrocínio da RGE, empresa do Grupo CPFL Energia, e apoio do Instituto CPFL e da Prefeitura Municipal de Getúlio Vargas, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, e da Prefeitura Municipal de Itatiba do Sul, por meio da Secretaria de Educação, e é realizada pela Brazucah Produções e pelo Ministério do Turismo. Oficinema on-line Além das sessões de cinema, o CineSolarzinho realiza diversas oficinas que integram arte, tecnologia e sustentabilidade, e difundem práticas sustentáveis para o dia a dia, desde a separação dos lixos à reutilização de materiais recicláveis. Em Itatiba do Sul, o projeto contempla a Oficinema Solar on-line, que utiliza a linguagem audiovisual e a educação ambiental, com crianças e jovens estudantes da rede pública. O encontro virtual aconteceu no dia 30/08, das 8h às 11h, pelo Centro de Convivência da cidade. No encontro são abordados temas sobre produção de vídeo e os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) propostos pela ONU (Organização das Nações Unidas). Todas as ações são gravadas, um filme é produzido com os participantes, editado pela equipe do CineSolarzinho e tem sua “estreia mundial” durante a sessão de cinema para a comunidade local. “As oficinas são atividades complementares, com uma linguagem muito simples e didática que dialoga de forma lúdica com as crianças e jovens da região. Com ações em conjunto com a Unesco Representação Brasil, o projeto CineSolar ajuda o planeta cumprindo 10 dos 17 ODS e colocando o público ainda mais em contato com os temas de sustentabilidade e energia renovável, além de arte e cultura”, destaca Cynthia Alario. PROGRAMAÇÃO: Getúlio Vargas Sessão Cinema Data: terça-feira (13/09) Horários: 13h30 - Sessão de curtas-metragens infantis 14h30 – Filme: ‘Turma da Mônica - Laços’ Entrada: gratuita Atrações: pipoca e estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz Local: Salão de Atos da Prefeitura de Getúlio Vargas - Avenida Firmino Girardello, 85 – Centro – Getúlio Vargas/RS Itatiba do Sul Sessão Cinema Data: quarta-feira (14/09) Horários: 19h - Sessão de curtas-metragens 20h - ‘Turma da Mônica – Laços’ Entrada: gratuita Atrações: pipoca e estação móvel de ciências, arte, tecnologia, sustentabilidade e cultura de paz Local: Clube Uassari - Rua Padre Lido Liberali, s/n – Centro – Itatiba do Sul/RS