Centro Administrativo em pauta através de Parceria Público-Privada (PPP)

Equipe da Prefeitura de Erechim esteve em São Paulo na Fundação Instituto de Administração (FIA) para buscar a viabilidade do projeto de construção do Centro Administrativo via Parceria Público-Privada (PPP)


Mais um projeto importante à vista e esperado há muitos anos por Erechim pode começar a sair do papel: viabilizar a construção do Centro Administrativo. Esse foi o objetivo da viagem a São Paulo pela equipe da Prefeitura de Erechim com o secretário de Gestão e Governança, Edgar Marmentini, a secretária de Administração, Izabel Ribeiro, o procurador geral do município, Daniel Grossi e a secretária adjunta de Administração, Aline da Costa.

Buscar parcerias

A secretária de Administração, Izabel Ribeiro, afirma que a reunião, que foi realizada, na terça-feira (19), com consultores sêniores da Fundação Instituto de Administração (FIA) visa construir as bases do estudo para elaborar o projeto e a construção do prédio administrativo de Erechim, com o mínimo de custos para o município, para não ser um peso nas finanças públicas, imobilizando recursos que faltariam em outras áreas como saúde e educação. “A FIA é referência no país em assessoria econômico-financeira neste tipo de projeto, tendo realizado vários trabalhos Brasil afora na área de infraestrutura, saúde, saneamento”, disse.

Reunião produtiva

Na avaliação do secretário de Gestão e Governança, Edgar Marmentini, a reunião foi produtiva com o consultor, Ricardo Celoto, que tem ampla experiência em projetos de avaliação de empresas, reestruturação organizacional e de processos, gestão de custos, entre outros. E, também o com o consultor, Rafael Tinelli, que atua com planejamento, modelagem e estruturação financeira de projetos de investimentos nas diversas áreas. “A Parceria Público-Privada é uma nova modalidade de gestão pública, mas que tem como princípio ser mais ágil e eficiente, utilizar melhor os recursos públicos, e de outro lado, atender bem a população”, afirma.

Tem as bases legais

Para o procurador geral do município, Daniel Grossi, tudo que foi apresentado tem bases legais, jurídicas, que poderão permitir o andamento do projeto.

Próximo passo será aguardar a proposta da FIA.