Aumento dos casos ativos colocam a R16 em atenção


O Comitê Regional de Atenção ao Coronavírus da AMAU, ao longo do processo pandêmico, vem realizando uma série de avaliações e paralelos para verificar a evolução da epidemia na região.

Segundo os dados da Plataforma Regional de Monitoramento (PRM) os números de casos ativos vêm se elevando de forma gradual, a cada novo levantamento. Segundo o último boletim ultrapassamos o patamar de 550 casos ativos, o que coloca a R16 em atenção, considerando que estamos recém saindo de um cenário agravado, com sobrecarga do sistema de saúde, elevadas taxas de ocupação das estruturas hospitalares e, infelizmente, um número expressivo de óbitos.

Analisando o gráfico verificamos que em 01/03 a região apresentou 999 casos ativos e, a partir de uma série de ações e sucessivas classificações de bandeira preta (altíssimo risco), os números começaram a diminuir, atingindo em 03/05 o piso de 331 casos ativos.

Contudo, fruto das nossas análises, estamos percebendo que a curva epidemiológica de casos ativos mudou seu desenho e ganhou contorno de elevação. Em 03/05, sistematizamos 331 casos ativos. Em 05/05 ascendemos para 402 casos ativos. Em 07/05 aumentamos o número para 427 casos ativos e, em 10/05 chegamos a 439 casos ativos. No boletim do dia 12/05 (último boletim) verificamos um crescimento expressivo, chegando ao indicador de 571 casos ativos.

“A elevação dos números reforça a tese que devemos adotar com o maior rigor as medidas preconizadas de prevenção, caso contrário o cenário caminha para um alerta e possível novo agravamento”, coloca Jackson Arpini, membro do comitê regional.

Num paralelo dos dois últimos mapas regionais verificamos que aumentamos em 132 casos ativos, partindo de 439 para 571. Tomando como base a data de 03/05 até a presente data, os dados indicam um aumento de 240 casos ativos em nove dias.

Persistindo nas avaliações, uma das atribuições do comitê regional, verificamos que dos 34 municípios alvo de monitoramento, 26 municípios apresentaram mais casos ativos, o que dá um percentual de 76,47%, e nos leva a pressupor que o crescimento não é pontual e, sim, uma tendência regional. Seis (06) municípios apresentaram estabilidade, portanto o mesmo número de casos, e apenas dois (02) reduziram o número de ativos.

Outra avaliação realizada pelo comitê é com relação ao quantitativo de casos ativos por município. Verificamos que apenas quatro (04) não apresentam no momento nenhum caso ativo (11,76%), seis (06) municípios apresentam de 01 a 03 casos ativos (17,64%); nove (09) apresentam de 4 a 10 casos ativos (26,47%), e a faixa predominante, é dos municípios que apresentam mais de 10 casos ativos, com 15 municípios (44,11%)


.