top of page

Aula Magna conclui Pré-Jornada Médica Internacional 


Com a realização da Aula Magna do Curso de Medicina, foi encerrada na quarta-feira à noite, no Salão de Atos da URI, a programação da Pré-Jornada Médica Internacional, em homenagem à memória do Hospital Israelita Leonardo Cohen, de Quatro Irmãos, hoje transformado em memorial da imigração judaica naquela comunidade. 

A programação antecedeu a programação da Jornada Médica Internacional, realizada na quinta-feira, 14, no Centro Cultural 25 de Julho, em Erechim. 

A Aula Magna do Curso de Medicina foi ministrada pelo médico psiquiatra Josué Bacaltchuck, da Universidade de São Paulo, e versou sobre a “Singularidade e o Futuro da Prática Médica”. O conferencista, que é natural de Erechim, destacou os avanços da medicina e a importância da nova geração de médicos que estão sendo formados dentro deste cenário mundial, especialmente com o uso da Inteligência Artificial. 

“Já temos observado muitos avanços, especialmente no que diz respeito a correções genéticas para tratamentos das mais diferentes doenças”, informou o palestrante. “As pesquisas mostram, por exemplo, que poderá ser possível corrigir os índices de LDL, o chamado colesterol bom, para que sejam evitadas muitas mortes por infarto e por Acidente Vascular Cerebral”, destacou. 

   Ao falar sobre a Inteligência Artificial, disse que “ela precisa ser encarada como uma ferramenta que vai nos auxiliar em diagnósticos mais precisos, com mais agilidade, ou seja, com melhores desfechos e menores custos para todos. Temos informações de que haverá uma melhora dos pacientes de até 50%”, lembrou o médico. 

Em resumo, frisou que já estamos vivendo a era do ensino com muita tecnologia. “Por isso, precisamos nos adaptar cada vez mais rápido a essa realidade e essa é uma tarefa árdua para a nova geração de médicos”.   

A Aula Magna foi antecedida por uma programação cultural, promovida pelo Curso de Medicina, que começou com a recepção do Grupo Knaidel, de Erechim, que surgiu em 2023 com o objetivo de atender às demandas da comunidade judaica. Com seus arranjos, promovem o diálogo entre a música tradicional dos judeus asquenazes e a música instrumental contemporânea.  

No palco do Salão de Atos, aconteceram as apresentações do  Grupo Folclórico Polonês de Erechim (JUPEM), com uma trajetória de 55 anos, e reconhecido mundialmente pela divulgação da cultura polonesa; e também do Coro da URI, regido pelo Maestro Marcio Busatto. 

Outras atrações também compuseram o cenário cultural proporcionado pelo Curso de Medicina. No Espaço Cultura Viva, em frente à Universidade, está a exposição de trajes das princesas israelitas, usados entre os anos de 1982 e 2022, nas FRINAPEs. A exposição pode ser visitada até quarta-feira, dia 20. 

No saguão de entrada, puderam ser vistas três exposições: uma delas é a exposição fotográfica “Hospital Memorial de Quatro Irmãos: um Século de Pioneirismo e Amor pela vida, de Beto Hackmann, que pode ser vista até sábado, dia 16.

Outra exposição é sobre a Saúde na Colônia Quatro Irmãos, organizada pelo grupo de pesquisa e extensão do Curso de Medicina; e a exposição de telas sobre óleo, retratando o Hospital Leonardo Cohen, por Teresinha Zanin. 

Ainda na entrada do Salão de Atos, pode ser conferida a réplica do Hospital Israelita Leonardo Cohen, desenvolvida pelos artesãos Astrogildo Sonza e Sidinei Marcolin, de Bento Gonçalves. A réplica foi construída em cedro e a pintura segue as cores originais. A obra foi patrocinada pelas empresas erechinenses CAVALETTI, EMA e BRASTELHA. 

Foi destaque, ainda, o documentário em vídeo, “Vozes de Quatro Irmãos”, produzido pela “Dia D Films”, patrocinado pela UNICRED ELEVA e Sociedade Cultural e Beneficente Israelita de Erechim. 





Comentarios


bottom of page