Audiência Pública debate possibilidades de transporte público que alie qualidade a tarifa acessível




Na última quinta-feira (10), foi realizada no plenário da Câmara a Audiência Pública que debateu o Direito ao Transporte Público de Qualidade em Erechim. As motivações para convocação da atividade, proposta pelo vereador Anacleto Zanella (PT) e aprovada pela maioria dos parlamentares recentemente, vão do reajuste da passagem em 20% a outras inúmeras queixas por parte dos usuários do referido serviço, como déficit de linhas e infraestrutura insuficiente. Estiveram presentes representantes sindicais, estudantis e dos poderes Executivo e Legislativo, além de munícipes insatisfeitos com a situação presente.


“Continuaremos mobilizados”


Para o parlamentar proponente, a audiência cumpriu sua finalidade, já que reuniu diferentes setores da sociedade a fim de consolidar o diálogo e debater possibilidades para melhorar o serviço de transporte público. “Foi definido um posicionamento firme na exigência de uma passagem de preço justo e acessível à população e ao direito a um transporte público de qualidade aos usuários”, afirma Anacleto, reforçando que as propostas sugeridas serão encaminhadas aos governos municipal e federal, bem como ao Congresso Nacional. “A solução dos problemas passa por ações em nível local e nacional. De nossa parte, continuaremos mobilizados para garantir ações concretas para a qualificação desse direito”, completa.


Propostas


Ao final da audiência foram definidas as seguintes providências a serem tomadas em relação ao transporte público em Erechim: 1) posicionamento pela revogação do decreto municipal que aumentou o valor da passagem de R$ 4,00 para R$ 4,80; 2) apoio ao Projeto de Lei Federal em tramitação na Câmara dos Deputados que prevê subsídio federal para o transporte coletivo nos municípios; 3) posição favorável à reposição salarial para trabalhadores da Empresa de Transportes Gaurama, cujos salários não são reajustados há dois anos; 4) criação de uma comissão entre poder público e sociedade em geral para estudar e propor medidas de ajuste no modelo atual do serviço; 5) auditoria pública para verificação do contrato em vigor e questões sobre o reequilíbrio financeiro solicitado pela empresa; 6) melhorias como ampliação de linhas e horários, qualificação dos abrigos existentes, passagem integrada, garantia de transporte ao distrito de Capoerê, passagem subsidiada a desempregados e idosos a partir de 60 anos e tarifa zero a estudantes de baixa renda.