top of page

Audiência pública apresenta situação financeira da Fundação Hospitalar Santa Terezinha


Atividade foi proposta pelo vereador André Jucoski, que vê com preocupação os números expostos



Na manhã desta terça-feira (4), foi realizada no plenário da Câmara Municipal uma audiência pública com o objetivo de detalhar a situação financeira da Fundação Hospitalar Santa Terezinha de Erechim (FHSTE), que já há alguns anos enfrenta dificuldades nesse âmbito. A atividade proposta pelo vereador André Jucoski (PDT), contou com a presença de parlamentares e representantes do hospital. A explanação dos dados foi feita pelo diretor executivo da instituição, Jackson Arpini.


Para Jucoski, é louvável a atitude da direção em apresentar de maneira objetiva e transparente os números do hospital. No entanto, considera preocupante a maneira como suas finanças mostram-se cada vez mais insuficientes para atender à crescente demanda: a projeção para o final de 2023 é de um déficit de cerca de R$ 19 milhões. “A curto prazo a situação tem sido remediada, mas os números mostram que o Santa merece uma discussão bastante aprofundada. Até agora não chegamos a perder em qualidade, mas até quando será assim? O futuro do hospital nos preocupa muito”, afirma.


Hospital filantrópico é alternativa


Atualmente, a FHSTE atende exclusivamente via Sistema Único de Saúde (SUS), situação que, embora torne o serviço de saúde mais acessível à comunidade, acaba cobrando um preço alto das receitas do hospital, que precisa arcar com boa parte dos valores de consultas, cirurgias, exames, entre outros procedimentos. Uma possibilidade apresentada pelo diretor executivo é tornar o Santa um hospital filantrópico, que atenderia 60% via SUS e 40% via planos de saúde, além de contar com outros benefícios governamentais que melhorariam significativamente a situação financeira, uma vez que a arrecadação seria regular. Há, contudo, alguns entraves: com 100% dos leitos ocupados desde abril – além de pessoas em situação de espera –, a FHSTE não poderia realizar a migração para a filantropia, já que todos as internações se dão através do SUS.


Jucoski acredita que a mudança de hospital público para filantrópico pode ser uma solução viável, mas é preciso que se analise muito bem de que maneira isso pode ser operacionalizado. “Com a migração, o Santa terá mais acesso a recursos, mas precisamos estudar a viabilidade disso. Por enquanto, é necessário também que a comunidade seja mobilizada, que participe com mais intensidade desta discussão, já que a situação do nosso hospital é bastante sensível”, completa o vereador.


Todos os dados financeiros da Fundação Hospitalar Santa Terezinha de Erechim estão disponíveis no vídeo da audiência pública, disponível no canal do YouTube da TV Câmara Erechim: https://www.youtube.com/@TVCamaraErechim


Comentários


bottom of page