Artigo - Amigos da Alegria de Erechim: um sonho sonhado junto


por Rovilio Collet, presidente dos Amigos da Alegria de Erechim


foto de arquivo


Um grupo de 11 pessoas, liderado por Dulce Maria Caldart Reato (in memoriam) e Rovilio Collet, fundou em 2 de outubro de 2012 a Associação Amigos da Alegria de Erechim. O lançamento do projeto, porém, aconteceu só em 17 de janeiro de 2013, às 13 horas, no Centro de Oncologia Clínica da cidade.

Na oportunidade, esse pequeno grupo se vestiu com roupas de palhaço, passou pelo processo de maquiagem, afinação dos instrumentos musicais - como acordeão, violino e percussão - e, após a formação da roda para unir toda energia possível e alegria incontida, lançou-se para a primeira ação junto aos pacientes, dando especial atenção aos cancerígenos. Percorrendo corredores e quartos, começou a jornada e a caminhada para levar aos pacientes o seu olhar, o seu abraço, palavras de apoio e de esperança, canto e música. Esse sonho sonhado junto, começava a se tornar uma realidade.

Estava sendo lançada ali a semente que viria a ser cuidada, com todo carinho, nos dez anos subsequentes. Semente que germinou, desenvolveu, cresceu, floresceu e, hoje, está com seus frutos sendo colhidos com a maior satisfação. Registre-se que o canto e a música, parecem ser a mola mestra a guiar os passos dos componentes em suas ações. Os voluntários vêm atuando, mensalmente, junto a instituições de Erechim que acolhem pacientes e doentes, sejam crianças, jovens ou adultos.

No decorrer do projeto, contamos com o apoio dos médicos: Juliano Sartori, Caroline Sartori e Flávio de Lima Cardoso. Ainda seguimos em constante aperfeiçoamento através de treinamentos realizados anualmente, como o próprio Encontro Nacional de Palhaços que atuam em hospitais - Palhaços em Rede, promovido pelos Doutores de Alegria de São Paulo, nossa referência de trabalho desde a fundação. A formação dos componentes também já contou com o trabalho dos próprios voluntários e também de profissionais externos como Alexandre Penha, por duas oportunidades; Cintia Keiser; Aline Miranda Dotta; Daiane Meneguzzo e Fabiana Lucion, por exemplo.

Nossa atuação também já percorreu diferentes âmbitos, mas sempre com o mesmo lema de irradiar alegria e esperança aos corações dos doentes e cuidadores do Centro Hospitalar Santa Mônica, Fundação Hospitalar Santa Terezinha, Hospital de Caridade, Lar dos Velhinhos, Centro de Apoio Oncológico Luciano – CAOL; como também na ala feminina do Presídio de erechim; junto às Penélopes Solidárias, à Associação Pró-Autista; à Aquarela e ao Super Patas. Na região do Alto Uruguai ainda atuamos junto ao Sipat da empresa Engie e ao voluntariado do Sicredi em Piratuba, bem como no Lar do Idoso de Barão de Cotegipe e na Casa dos Menores em Marcelino Ramos.

Além disso, é fundamental recordar que os estudos, trabalhos, reuniões, debates, buscas, leituras e análises do que e como realizar esse sonho, tiveram seu início, em abril de 2012, nas dependências de uma sala, gentilmente cedida pelo Dr. Juliano Sartori. Eles nos receberam de braços abertos e se envolveu, de corpo e alma, nessa ideia, no Centro Hospitalar Santa Mônica.

No início da Vida e História dos Amigos da Alegria, a Diocese de Erechim se fez representar através de um de seus sacerdotes. A própria URI - Campus de Erechim acompanhou o desenvolvimento dos primeiros trabalhos com o objetivo de desenvolver projetos específicos.