top of page

Aratiba decreta Situação de Emergência em função de estragos causados pelos temporais e enchente


Município foi atingido no início do mês e perdas se somam no campo e na cidade

 

A prefeitura de Aratiba decretou na sexta-feira, 10 de maio, Situação de Emergência em função dos estragos causados no município, pela enchente e temporais recentes. O município já havia aderido ao Decreto de Calamidade do Estado do Rio Grande do Sul, com reconhecimento do Governo Federal, conforme publicação no Diário Oficial da União.

 

O decreto foi assinado pelo prefeito de Aratiba, Gilberto Hendges e pelo secretário da Administração, Leonardo Bortolotto, atendendo levantamento realizado pela Defesa Civil, secretarias do Governo Municipal e Emater-RS/Ascar, escritório municipal, que apontaram o montante dos estragos causados pelo temporal do último dia 2 de maio.

 

De acordo com Laudo Técnico, o município registrou precipitação em torno de 250 milímetros neste dia, o que ocasionou grandes perdas no campo e na cidade.

 

Segundo a Emater, houve danos de até 80% na cultura do milho grão, 80% no milho silagem, 100% de perda na segunda safra de feijão, 80% de queda na cultura da soja, além de perdas de 30% no leite e 40% na apicultura. Ainda, considerou a porcentagem de perda na fertilidade do solo em 100% das propriedades, decorrentes das chuvas intensas e alagamentos.

 

O Laudo Técnico da Secretaria de Assistência Social e CRAS de Aratiba, relatou inúmeros estragos provocados em residências, somando 60 famílias e o montante de 140 pessoas atingidas, e em torno de 20 famílias desabrigadas, com perda total de suas residências.

 

Ainda, constatou-se que 60 estabelecimentos comerciais e entidades do município foram atingidos pelo alagamento devido às fortes chuvas, dentre estes 23 estabelecimentos com perda total (mercadorias, estoque).

 

Outro Laudo, este da Secretaria de Meio Ambiente relacionou os impactos ambientais resultantes do excesso de chuvas, como sendo: inundações em áreas urbanas e rurais, erosão do solo, poluição hídrica, perda da biodiversidade, deslizamentos de terra e desmoronamentos, prejuízos nas atividades agrícolas, pecuárias, de construção civil e infraestrutura, além da grande quantidade gerada de resíduos, tanto orgânicos como não orgânicos, provenientes das ruas, comércio e residências atingidas pela enchente dos rios.

 

O prefeito, Gilberto Hendges ressalta que a Administração Municipal, através de suas secretarias, disponibilizou todo o aparato disponível para minimizar os efeitos do desastre, bem como assistência aos afetados.



Comments


bottom of page