Amigos da Alegria: 10 anos distribuindo esperança e amor



A orientação dirigida aos primeiros voluntários dos Amigos da Alegria de Erechim, há 10 anos, era de “lidar com as pessoas e a saúde, e não com doenças e doentes”. Era 2 de outubro de 2012 a data oficial de fundação do grupo, liderado por Dulce Maria Caldart Reato (in memoriam), que começou a atuar na cidade para melhorar a qualidade de vida de quem estava hospitalizado, em especial, das crianças, jovens e adultos com câncer, bem como de familiares, cuidadores e profissionais de saúde.

Histórias que se confundem pelo amor

O pequeno grupo era formado por voluntários que seguem até hoje ajudando a levar o sonho da Dulce adiante, mesmo após o seu falecimento em 2014. Além de Rovilio Collet, atual presidente; Tanise Santin Biason e Andressa Collet, ambas atuando sempre no Departamento de Comunicação; está Ana Elise Santin Biason, vice-presidente. Ela tem uma história de ligação com a idealizadora dos Amigos da Alegria desde criança, quando foi aluna da Dulce em pintura em tela. Vieram a se reencontrar na juventude e a amizade se estendeu pelos caminhos profissionais até o projeto dos Amigos escrito a várias mãos.

“Fui aprendendo a lidar com a doença e a dor, e também com a aceitação do outro”, revela Ana, porque, no início, “era um desafio pra mim: eu terminava as ações e estava acabada emocionalmente. Mas eu não tinha coragem de dizer não pra Dulce e sempre voltava com muito esmero por ela. Hoje eu sou extremamente agradecida por participar dos Amigos da Alegria: ao colocar a minha roupa e o meu nariz, eu vou me transformando e mentalizando toda força e boa energia que vou repassar para quem eu for encontrar”, conta ela, ao acrescentar: “nossa missão continua desde a fundação a fazer o bem sem olhar a quem. Afinal, fazer o bem faz bem”.

O aniversário de 10 Anos

Hoje, com 37 voluntários ativos, os Amigos da Alegria se preparam para comemorar aquela precursora ideia da Dulce que, da inspiração dos Doutores da Alegria de São Paulo, tornou-se realidade em Erechim. Uma história de 10 anos que contabiliza mais de 100 visitas para levar a arte do palhaço e da música ao ambiente hospitalar, animando para a esperança e contribuindo no processo de cura dos pacientes.

Para tanto, a busca por aperfeiçoamento dos voluntários sempre foi uma constante, tanto que o Jubileu de Estanho será comemorado neste final de semana – 8 e 9 de outubro – com uma imersão no mundo da palhaçaria. Um casal de Ponta Grossa, no Paraná, Micheli e Bruno Madalozo Santos, dos “Doutores Palhaços SOS Alegria”, já estão em Erechim para ministrar um treinamento de dois dias que une “a arte, a tecnologia humana e o desenvolvimento humano para se conectar com o paciente através do afeto e da alegria”. As atividades acontecem no Colégio Estadual Professor Mantovani.

No sábado (8), antes da pausa do almoço, será realizada uma celebração de ação de graças pelos 10 anos de atividades dos Amigos da Alegria. Já no domingo (9), pela parte da manhã, uma Roda de Conversa irá reunir tanto voluntários como ex-integrantes e parceiros, convidados para um aprofundamento da história do grupo e de temas relacionados ao contexto vivido mensalmente pelos Amigos da Alegria nas visitas aos hospitais.

Na oportunidade, o jornalista e mestre em Educação, Gustavo Deon, fará a mediação de uma conversa que irá contar com a participação da filha da Dulce, Cristiane Reato Benincá; do presidente Rovilio Collet; da enfermeira oncológica Neiva Sackrazerwki; do psiquiatra Anderson Madalozzo; e do médico oncologista clínico e diretor do COC Erechim – Centro de Câncer, Juliano Sartori, que está com o grupo desde a fundação e por quem nutre um carinho todo especial:

“Os Amigos da Alegria trabalham com simplicidade, empatia e humanismo, além de ter uma capacidade inata de alegrar o físico e a mente de todos que encontram. Entregam uma mensagem de harmonia, de paz e de equilíbrio e conseguem interagir nos momentos mais vulneráveis das pessoas através de figuras simples e simbólicas: com o abraço, o sorriso, a música e as alegorias de palhaços. O COC tem muito orgulho por estar próximo de vocês! E nós agradecemos pela oportunidade de fazer parte desta história! Desejamos muita longevidade, sorrisos e palhaçadas porque vocês definitivamente fazem a diferença!”

Parabéns a vocês!

O final da tarde do domingo (9), de encerramento das atividades oficiais de formação dos voluntários, vai dar espaço às comemorações dos 10 Anos da associação com um happy hour de aniversário que vai reunir voluntários, familiares, ex-integrantes e parceiros do grupo. Um momento para cantar parabéns, soprar as velas e fazer um único pedido conjunto: de vida longa aos Amigos da Alegria, “um grupo de pessoas comprometidas em se doar ao irmão necessitado, através do sorriso, do abraço, da palavra de apoio e dos gestos de amor, do canto e da música”, finaliza Rovilio Collet:

“Assim cumprimos com a missão de desenvolver a arte do palhaço junto aos pacientes nessa caminhada de 10 anos, acreditando que é possível fazer deste mundo um lugar melhor pra se viver.”